Home / COLUNAS / Afonso Guerra-Baião / AONDE VAI O AMOR QUE NÓS PERDEMOS?
SIGA NO INSTAGRAM

AONDE VAI O AMOR QUE NÓS PERDEMOS?

AONDE VAI O AMOR QUE NÓS PERDEMOS?

“Aonde vai o amor que nós perdemos?” Este é o verso que inicia o poema RELICÁRIO, no meu livro SONETOS DE BEM-DIZER / DE MALDIZER, que acaba de ser publicado, em primorosa edição da Aldrava Letras e Artes. Aqui vai o RELICÁRIO, como degustação do livro que pode ser adquirido através da Estante Virtual, da minha página no Face ou na Livraria Santo Antônio, em Curvelo:

aonde vai o amor que nós perdemos?

não fecha a porta que abriu no peito,

deixa a janela d´alma entregue ao vento

e vai, no desconforme desse jeito:

desfeiteada fica aquela cama

onde o amor se fez e se desfez

sem um aviso; deixa acesa a chama

dos círios e do incenso; de uma vez,

não mais que de repente, ele parte

e parte o coração: é sua arte

sumir e aparecer como se nada

mais importasse que ganhar da vida,

vencer o tempo – e, nessa corrida,

quem perde ganha a rosa rastejada

Escolhi este poema como amostra do livro, porque nele a figura do Amor personifica a incessante busca da felicidade que “está sempre onde nós a pomos / e nunca a pomos onde nós estamos”, como está dito no clássico VELHO TEMA, de Vicente de Carvalho. Nas entrelinhas dos meus líricos poemas de bem-dizer e dos satíricos sonetos de maldizer há uma voz que sopra em nossos ouvidos o velho tema, que vem desde os trovadores medievais, passando pelas poéticas clássica e barroca: ter é perder.

SONETOS DE BEM-DIZER / DE MALDIZER é um livro de dupla face, que contempla tanto a meditação quanto o riso, que convida à reflexão introspectiva e à extrospecção catártica.

Você é meu convidado para os lançamentos que já estão marcados:

Belo Horizonte: dia 27 de abril, na Rua Cairu, 115, às 19 horas.

Ponte Nova: dia 17 de maio, na sede da OAB, às 19 horas.

Curvelo: dia 07 de junho, na sede da OAB, em solenidade promovida em conjunto pela Academia Curvelana de Letras e a OAB/Curvelo, às 19 horas.

Afonso Guerra-Baião, professor e escritor. Publicou as narrativas O INIMIGO DO POVO e A NOITE DO MEU BEM pela Amazon. Tem textos publicados em revistas literárias como o Suplemento Literário de Minas Gerais. Colabora em jornais e em sites como Curvelo online. Publica também em sua página no Face e em seu blog no You Tube.
Acaba de publicar SONETOS DE BEM-DIZER / DE MALDIZER, um livro que explora duas vertentes da poética clássica: a lírica, que provoca a emoção e a reflexão, e a satírica, que libera o riso e a catarse.
Afonso é torcedor do Galo.

Veja Também

ASSOMBRAÇÃO SABE PARA QUEM APARECE

Assombração sabe para quem aparece, diz Ana Maria. O que Ana Maria fala eu escrevo. ...